sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Foi pra mim.

Atualmente tenho vivido algumas ciscunstâncias contrárias na minha vida. Parece que estou em semanas de provas na escola. E talvez esteja, a escola da vida esteja me aplicando algumas provinhas pra ver se eu passo ou se fico de recuperação. O caso é que eu não estudei, então, tem sido difícil enfrentá-la. Mas a culpa é minha mesmo, pois a matéria estava na bíblia, e eu não lí. Bem, a prova dessa semana (as provas) foram com consulta. E Hoje eu lí a matéria que explica exatamente a questão. Acho que tirei dez!
Bem, vou colocar aqui, pra vc ler a matéria da minha prova dessa semana.
É um devocional do "no cenáculo" do dia de hoje. Eu realmente precisava deste devocional...

10/10/2008

Esqueça

Leia Lucas 6.27-38
"(Lucas 6:27) - Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam;
(Lucas 6:28) - Bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam.
(Lucas 6:29) - Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses;
(Lucas 6:30) - E dá a qualquer que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho tornes a pedir.
(Lucas 6:31) - E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também.
(Lucas 6:32) - E se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? Também os pecadores amam aos que os amam.
(Lucas 6:33) - E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo.
(Lucas 6:34) - E se emprestardes àqueles de quem esperais tornar a receber, que recompensa tereis? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para tornarem a receber outro tanto.
(Lucas 6:35) - Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.
(Lucas 6:36) - Sede, pois, misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso.
(Lucas 6:37) - Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão.
(Lucas 6:38) - Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo."

"Flecha mortífera é a língua deles; falam engano; com a boca fala cada um de paz com o seu companheiro, mas no seu interior lhe arma ciladas." Jeremias 9.8
......................
Ao entrar no posto de enfermagem onde trabalho, peguei as últimas palavras de uma conversa entre minhas colegas. Eram sobre mim! O que estavam dizendo não era muito favorável. Mais ainda, não era verdade. Aquilo realmente me feriu. Quando me viram, todas ficaram sem jeito e muito quietas. Durante o resto do turno, todas elas ou me evitaram ou foram superamigáveis. Passei o restante do dia triste. No dia seguinte, orei sobre o modo como reagiria ao comportamento delas. Como devo lidar com a dor? Logo me dei conta de que não sou responsável pela falsidade dos outros. Não sou responsável pelas pessoas que dizem uma coisa, mas agem de outro modo. Não tenho controle sobre os outros nem tenho o direito de julgá-los. Porém, sou responsável diante de Deus pelas minhas atitudes em relação às pessoas, mesmo aquelas que me magoaram. Essa verdade foi muito consoladora para mim. Por isso resolvi não revidar nem guardar rancor. Esquecer as mágoas não é fácil, mas é possível. Jesus disse: "Para Deus tudo é possível" (Marcos 10.27). Ele não disse que tudo seria fácil. A Bíblia me diz para não julgar os outros. Não podemos monitorar seus corações ou modificar seu comportamento. Isso é tarefa de Deus.

Oração: Amoroso Deus, ensina-nos a mostrar bondade uns aos outros e a perdoar quando nos desapontarem. Em nome de Jesus. Amém.
Pensamento para o dia: Trate os outros como você quer ser tratado.
Sandy Ramirez (Ohio, EUA)
Oremos pelas pessoas feridas pela fofoca.

Não preciso dizer mais nada não é?

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Tudo que não me falaram sobre sexo.

Assim como a maior parte as mulheres nos dias de hoje, eu infelizmente não recebi as devidas instruções sobre sexo. Não estou falando de DST, ou de não saber a serventia de um pênis, ou de um ciclo reprodutor - alías, minha mãe me ensinou a concepção aos 6 anos de idade - mas digo de ato sexual mesmo. O que pode ou não, o que se deve fazer, onde como... Da maneira correta, eu digo.
Quando era adolescente, ouvia uma tia que me contava suas aventuras sexuais antes do casamento, e depois dele, e na separação, como sendo a coisa mais bacana do mundo. Eu pensava: "Não quero me casar virgem, e deixar de aproveitar isso tudo? Jamais". Que burrice a minha. Ninguém me disse que nós somos insáciaveis. Quanto mais temos, mais queremos, e se não temos limite, aí a coisa fica feia... Pois muito bem, com essa idéia de gerico que eu formei minha educação sexual. Ou seja, sexo antes do casamento, com várias pessoas para ter experiência e quanto antes melhor, já que no ensino médio só se fala nisso.
Mas não me disseram das consequencias... Não tive filhos e nem doenças, Graças a Deus! Mas a sensação de vazio, de ter sido usada cada vez que me entregava... Sem contar a primeira vez desastrada. Poderia ter sido tão diferente. Poderia ter sido numa suite nupcial, com o homem que eu passaria o resto da minha vida junto, sem culpa, sem medo, sem pressa...
Ninguém me disse que o sexo era a celebração do casamento, nem do amor conjugal... Me mostraram, a vida toda que sexo era bom, sem ter a menor relevância se estava casado ou não. Aliás, minha família é engraçada. Quando perguntados, todos dizem que são contra o sexo antes do casamento, mas nenhum deles se casou para fazê-lo. E aqueles que "porventura" casaram-se virgens, fizeram sexo fora do casamento. Essa foi minha educação sexual.
E o que falar das posições e maneiras de fazer sexo?
Sem comentários.
Me ensinaram que a mulher deveria ficar quieta, mas que deveria ser uma meretriz no quarto... Que coisa mais estranha!
Que consequências horrendas eu trouxe pro meu casamento com essa carga familiar sexual que me foi dada. Tive e tenho que aprender muito ainda. Sem pressa, sem culpa...
Espero passar o conceito da "calma" para meus sobrinhos e filhos. Tomara que eu seja a tia que conta as aventuras sexuais no casamento como sendo as melhores, as mais emocionantes, as mais festivas, porque essas sim, são uma festa sem hora pra acabar.